21 06-2016
E-commerce: Pequenos negócios precisam agora mais do que nunca
4 Flares Pin It Share 0 Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 4 Email -- 4 Flares ×

Dados do fim de 2014 mostram que uma estratégia eficaz de e-commerce é essencial para os varejistas modernos.

Por gerações, os conceitos básicos de varejo permaneceram os mesmos. Pessoas que queriam comprar algo geralmente tinham que ir a uma loja e a maioria das pessoas foram capazes de encontrar uma loja, procurando por sua marca. Eu não preciso dizer que os tempos mudaram (Pra que servem os calendários e relógios?) ou que a internet tem afetado dramaticamente a maneira como as pessoas compram e interagem com as empresas. Muitos proprietários de pequenas empresas têm apenas experimentado o E-commerce, mas chegou a hora de mergulhar fundo nessa tendência.

e-commerce

Dados coletados a partir do final de 2014 mostram que os varejistas precisam de uma forte estratégia de marketing digital e comércio eletrônico agora, mais do que nunca.

A temporada de férias de 2014 foi razoavelmente boa para os empresários. No entanto, foram varejistas on-line que viram os maiores ganhos de tráfego e das receitas. Com grandes promoções, frete rápido e comparações de custo simples, cada vez mais consumidores estão optando por fazer a maioria de suas compras online ao invés de nas lojas.

Um estudo recente descobriu que o número de pessoas que compram online durante os feriados aumentou drasticamente entre 2013 e 2014. De acordo dados da Wipro Digital Research, 36% dos compradores norte-americanos e 45% dos compradores do Reino Unido informaram fazer a maioria de suas compras on-line em 2013. A mais recente pesquisa descobriu que 61% dos americanos e 71% dos consumidores do Reino Unido informaram fazer a maior parte das suas aquisições online.

No início do ano, a Wipro Digital Research conduziu uma pesquisa pós-férias baseada em 2023 consumidores online entrevistados, sendo metade dos EUA e metade do Reino Unido. O estudo confirma que mais pessoas estão evitando lojas físicas e preferindo comprar on-line. Além disso, as respostas destes consumidores sugerem que esta tendência irá continuar no futuro.

“Os consumidores continuam a sua marcha constante on-line, encontrando poucas razões para fazer compras na loja em vez de on-line”, disse Avinash Rao, chefe global da Wipro Digital em uma coletiva de imprensa anunciando os resultados do estudo. “Mas, mesmo on-line, varejistas de multicanais estão perdendo clientes para lojas estritamente online. Varejistas de lojas físicas estão tendo dificuldades devido aos benefícios do varejo em multicanais.”

Esta matéria não é apenas sobre o poder do comércio eletrônico durante as férias. As conclusões do estudo sugerem que os varejistas devem esperar para ver as vendas online crescendo mais rápido do que as vendas na loja durante todo o ano. Em ambos os países, a metade (50%) dos entrevistados disseram que pretendem fazer mais compras on-line. Apenas 4% dos consumidores americanos pesquisados e 6% das pessoas do Reino Unido relataram aumentar as visitas em lojas este ano.

e-commerce 2

Investir em comércio eletrônico é importante para todas as empresas, porque os consumidores utilizam todos os canais à sua disposição quando estão pesquisando, selecionando e comprando um produto. Navegadores dentro da loja podem se tornar compradores on-line e vice-versa. Isto foi visto nos dados da pesquisa, mesmo quando os consumidores relataram navegar on-line e em uma loja, um em cada três (34% nos EUA e 33% no Reino Unido) escolheu estar on-line para fazer sua compra.

As conclusões deste estudo são apoiadas por um relatório recente da IBM, que concluiu que 43% dos consumidores norte-americanos preferem fazer compras online. O estudo da IBM também informou que 29% dos consumidores norte americanos fizeram a sua compra mais recente online. Alguns destes estão relacionados com a necessidade de algumas empresas de atualizar seus sites de comércio eletrônico, e o fato de que alguns clientes usarem a pesquisa on-line para encontrar um local nas proximidades que tem um produto que eles precisam.

Tenha em mente que há um grande número de pessoas que podem “preferir” fazer compras na loja, mas “escolhem” fazer compras on-line porque é a opção mais conveniente. Em qualquer caso, os dados mostram um valor real para as empresas que adotam a internet, marketing e comércio eletrônico para chegar à grande percentagem de clientes que estão comprando online.

Melhorar uma estratégia de e-commerce pode impedir um pequeno varejista de ficar para trás de seus concorrentes e proporcionar novas fontes de receita à medida que mais consumidores optam por fazer compras online. Um dos benefícios da adição de comércio eletrônico para uma estratégia de negócio é que ele não exige muito mais do que o que já está disponível na loja física.

Uma boutique de roupas que quer começar a vender on-line precisa de um computador com internet para executar o comércio eletrônico (um site ou aplicativo) e algumas caixas para enviar as coisas. Desta forma, a adição de comércio eletrônico pode exigir muito menos investimento do que a abertura de um segundo local.

Deve ser claro para os empresários e comerciantes que os antigos modelos de venda mudaram e que é essencial mudar a sua estratégia de acordo com a nova realidade.  O comércio eletrônico vai se tornar um fator cada vez mais importante na receita dos varejistas.

Para os marketeiros já está óbvio: você não precisa de um sinal maior, você precisa de uma presença maior do marketing digital. As pequenas empresas precisam de comércio eletrônico agora, mais do que nunca, portando escolha a Weebo Marketing Digital!

 

Fonte: www.inc.com

 

4 Flares Pin It Share 0 Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 4 Email -- 4 Flares ×

Comentários

Post Relacionado

4 Flares Pin It Share 0 Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 4 Email -- 4 Flares ×